instagram

⌠ 61 avaliações para a publicação abaixo ⌡
Ederson Oliveira
Em um banco de praça
Escrito por Ederson Oliveira

DSCN9438 1024x768
 
Alguns dias são bonitos só de existirem. Não precisam que nada de extraordinário aconteça para aumentar o nível de contentamento que a gente sente com a vida quando se está em um deles. Talvez esses dias não sejam os mais frequentes, então há de se sair de casa e abusar da sua efemeridade. E hoje foi assim.
Acordei como quem não sabe exatamente de onde veio esse ânimo que andava ausente, mas que sabe exatamente para onde canalizá-lo. Andei pensando que o fato de a gente acreditar que tá feliz pode ajudar, alguma coisa como efeito placebo. Desde então, acordo fingindo que não me preocupo com esses problemas (tão bobos, vá) e aproveito a liberdade que isso gera. Então, cá estou, em uma tarde de quarta-feira sentado em um banco de parque , pensando no quanto tudo pode ser mais leve se a gente deixar.
E isso tudo me parece menos bobagem quando olho pro lado e vejo mais pessoas assim, só sentindo a vida em uma quarta comum. Penso que, lá na frente, essa gente que tentou não levar as coisas tão a sério é que vai sentir ter feito algo da vida além de passar por dias seguidos e automatizados. A vida é mais que isso...
 
⌠ 55 avaliações para a publicação abaixo ⌡
Fábio C.
"Quando compramos algo, não pagamos com dinheiro, pagamos com o tempo de vida"...
Escrito por Fábio C.

 
É  preciso criar mundos de felicidade com poucas coisas, com sobriedade. É preciso viver com bagagem leve e não escravizado pela renovação consumista permanente, que obriga a trabalhar, trabalhar e trabalhar para pagar contas que nunca terminam. Não se trata de uma apologia da pobreza, mas de um elogio à sobriedade.
 
⌠ 57 avaliações para a publicação abaixo ⌡
Manuella Costa Pires
"Esse Sim"
Escrito por Manu Pires

altPerguntas, perguntas, perguntas
difusão delas no ar
reflexo de um pensamento adverso
desapontamento, indecisão, frustração
decepção, relento e indignação
paira um sentimento do poderia
remói corpo e alma, mente e coração
talvez se eu tivesse, o que aconteceria

o “se eu tivesse” não da-te a vaga
não assegura-te a casa
não mostra-te o caminho
não acrescenta-te a experiência
o “se eu tivesse” não existe
já foi, acabou, evaporou, solidificou
ou líquido se fez, mas não modificou

por isso temos o agora
um caminho alegre ou triste
totalmente inconstante
vem amores, vão amigos
vem rancores, ficam perigos
vida, traçada, colocada, objetivada
está aí, dia a dia, noite a noite
o “se eu tivesse” não existe
o hoje, esse sim existe.

⌠ 58 avaliações para a publicação abaixo ⌡
Fábio C.
13 Fotos Historicamente Curiosas
Escrito por Fábio C.
 
alt
Chegada da Mona Lisa ao Museu do Louvre, logo depois da II Guerra Mundial.
 
alt
Uma praia da Austrália, em 1900.
 
alt
Segregação racial no sul dos Estados Unidos.
 
alt
Um dos primeiros McDonald's.
 
alt
Um carro no ano 1900.
 
alt
Hugo Gernsback e seu televisor portátio, em 1963.
 
alt
Charlie Chaplin com 27 anos, em 1916.
 
alt
Fidel Castro uma sua escola católica, em Santiago de Cuba, 1940.
 
alt
A rainha Elizabeth durante o serviço militar na II Guerra Mundial.
 
alt
Martin Luther King e seu filho removendo uma cruz queimada que membros do KKK (Ku Klux Klan) deixaram em frente a sua casa, em 1960.
 
alt
Os Beatles no início da cerreira.
 
alt
Filmando o leão para a clássica logo da MGM
 
alt
O último Tigre da Tasmania, 1933.
 
⌠ 58 avaliações para a publicação abaixo ⌡
Eron K. Nascimento
Perguntas de um trabalhador que lê
Escrito por Eron Nascimento

Por Bertold Brecht
 
Quem construiu a Tebas de sete portas?
Nos livros estão nomes de reis.
Arrastaram eles os blocos de pedra?
E a Babilônia várias vezes destruída
Quem a reconstruiu tanta vezes?
Em que casas Da Lima dourada moravam os construtores?
Para onde foram os pedreiros, na noite em que
a Muralha da China ficou pronta?
A grande Roma esta cheia de arcos do triunfo
Quem os ergueu?
Sobre quem triunfaram os Cesares?
A decantada Bizancio
Tinha somente palácios para os seus habitantes?
Mesmo na lendária Atlântida
Os que se afogavam gritaram por seus escravos
Na noite em que o mar a tragou.
O jovem Alexandre conquistou a Índia.
Sozinho?
César bateu os gauleses.
Não levava sequer um cozinheiro?
Filipe da Espanha chorou, quando sua Armada
Naufragou. Ninguém mais chorou?
Frederico II venceu a Guerra dos Sete Anos.
Quem venceu alem dele?

Cada pagina uma vitória.
Quem cozinhava o banquete?
A cada dez anos um grande Homem.
Quem pagava a conta?

Tantas histórias.
Tantas questões.
 
⌠ 45 avaliações para a publicação abaixo ⌡
Viviane Peter Casser
Apetite
Escrito por Vivi


espera
Ele Diz
Eu Ardo
Queimo
Sou, Cinzas
Destroços
Eu Volto
Busco-Te
Sorvo-Te
Inteira
Ele, não Vem
Eu, Volúpia, Completa
Inteira

⌠ 23 avaliações para a publicação abaixo ⌡
Fábio C.
Bauman - Vigilância Mútua
Escrito por Fábio C.


"Todos nós estamos em competição potencial uns com os outros. E é isso que cria a atmosfera de guerra: nada é certo, nada é seguro", sintetiza o sociólogo polonês Zygmunt Bauman. Confira a entrevista completa do humanista ao 
Observatório da Imprensahttp://ebcnare.de/1k9Ngp2